Quer dar um Pet para alguém? - Royal Canin
Royal Canin Brasil Royal Canin Sobre a Royal Canin Quer dar um Pet para alguém?

Quer dar um Pet para alguém?

7 pontos a serem considerados antes de presentear com um pet neste Natal.

Um cão ou gato está em sua lista de presentes neste Natal?

Saiba por que animais de estimação são mais do que um presente — e como planejar para que um pet faça a diferença na vida de alguém.

Chegou a hora de começar a fazer compras e encontrar o presente ideal para todas as pessoas queridas. Desde os aparelhos eletrônicos mais modernos e sofisticados até o brinquedo mais simples, seja pesquisando pelos corredores das lojas ou via internet, a “caça” agora é em busca do presente que mais irá agradar nesta época do ano.

Entretanto, há um item que você não encontrará em uma lista de presentes. E por uma boa razão: pets são mais do que um presente.

Muitos especialistas em animais de estimação, desde Médicos-Veterinários até profissionais especializados em comportamento animal, aconselham as pessoas a pensarem de forma diferente em relação aos animais como possíveis presentes. Ao contrário de um brinquedo, aparelho eletrônico, roupas ou joias, os pets são um presente que vivem por muitos anos, ou seja, não se trata de um presente apenas para uma época do ano. Você não presenteia com um pet, você faz planos com um pet, o que é bem diferente.

A posse responsável de pets começa com as considerações descritas a seguir:

1.    Encontre o perfil certo de animal: Cada cão e cada gato é um pet com peculiaridades distintas; por isso, é importante considerar qual é o melhor tipo para cada perfil e pessoa presenteada. Pense em alguns aspectos, tais como: o nível de energia, o temperamento, a necessidade de banho e tosa, bem como o porte do animal. Por exemplo, embora todos os cães necessitem de estímulos mentais, exercícios e atividades lúdicas (como brincadeiras e lazer), algumas raças precisam de mais espaço do que outras.
2.    Pense no pet em primeiro lugar: “Os cães e gatos trazem muitos benéficos à saúde física e mental dos jovens, dos não tão jovens e de todos aqueles que se encontram entre essas faixas etárias,” afirmou o Dr. Kersti Seksel, um dos principais Médicos-Veterinários e especialistas em comportamento animal na Austrália. “No entanto, muitas pessoas subestimam o tempo e o esforço necessários para cuidar de um pet. Infelizmente, isso acaba culminando no abandono de muitos animais em abrigos por problemas de comportamento ou na constatação de que o animal não é adequado para o estilo de vida do tutor. Por essa razão, é muito importante que todos compreendam a responsabilidade envolvida durante o período de vida do pet”. Para obter o melhor da convivência com o animal de estimação, é preciso dedicar tempo e atenção a ele, o que nem sempre é possível dependendo do estilo de vida do tutor.
3. Prepare uma recepção agradável e acolhedora: O período de festas e férias é uma época do ano muito agitada, com muitos amigos, familiares e confraternizações. Talvez você não tenha o tempo necessário para ajudar o seu pet a se adaptar ao seu novo lar durante os primeiros dias (importantíssimos, por sinal) de sua chegada — razão pela qual talvez seja melhor esperar que as férias passem.
4. Envolva todas as pessoas da casa: Envolva todos os que irão conviver com o cão ou o gato na decisão de encontrar o animal de estimação ideal. O mesmo é verdadeiro para decidir quem irá cuidar do novo pet. DICA: crie uma espécie de programação para acompanhar as atividades e os horários do animal de estimação, bem como para designar quem será responsável por cada tarefa. Considere quem será o principal responsável pelo pet e veja se ele ou ela tem idade suficiente para assumir essa grande responsabilidade. Quem ficará encarregado por cada refeição, pelos passeios ou exercícios diários, pela higiene do animal, pela limpeza e troca da bandeja sanitária e por marcar as consultas no veterinário? E nas horas ou nos dias em que você trabalha ou viaja? Quem fica responsável pelo quê? Essas perguntas deverão ser pensadas e respondidas, pois será preciso planejar como as necessidades de seu pet serão atendidas, ainda que você não seja o único capaz de atendê-las.
5. Esteja preparado para o inesperado: Os especialistas aconselham reservar certa quantia em dinheiro para despesas inesperadas, como dietas especiais, seguro para pets e cuidados em possíveis problemas de saúde.
6. Encontre um Médico-Veterinário: antes de trazer um novo pet para o seu lar, muitos criadores e abrigos exigem que você descubra e nomeie um veterinário de sua confiança. Eles são os profissionais responsáveis pelas vacinas, pelos cuidados preventivos e pelos check-ups de rotina. Os Médicos-Veterinários também podem ajudá-lo(a) a identificar o alimento ideal para a raça, a idade, o nível de atividade e o estado de saúde do pet.

7. Elabore uma cartilha de cuidados e monte um kit básico para pets: além de ser algo excelente para você, um kit básico também é um presente útil para qualquer pessoa que esteja adquirindo um novo cão ou gato. Como sugestão, seguem alguns itens a serem incluídos nesse kit: saco de alimento de alta qualidade escolhido com base nas características únicas da raça e nas necessidades do pet; utensílios básicos para realizar a higienização habitual do animal; coleira e guia; etiqueta de identificação para inserir o nome do pet e do tutor, bem como o número de telefone deste e do Médico-Veterinário; e uma nova agenda para registrar os afazeres diários e os principais acontecimentos, assim como as datas importantes e os contatos relevantes.

Confira o nosso vídeo sobre o ato de presentear com um pet com um rápido lembrete para sempre se pensar de forma diferente. Porque, afinal, todo pet quer ficar em um lar para sempre.

 
  • facebook
  • twitter
  • youtube